Copacabana

Quatro pistas de corrida com visual cinematográfico no Rio

Quatro pistas de corrida com visual cinematográfico no Rio

Se você curte uma corridinha e mora no Rio ou está vindo pra cá, anote aí 4 lugares deliciosos pra se correr ao ar livre. Você não vai se arrepender. Garanto!

Pista Claudio Coutinho

Também conhecida como Estrada do Costão, fica na Urca, que por si só já é linda. Na verdade fica bem pertinho do Pão de Açúcar, na Praia Vermelha. Foi inaugurada pelo Exército Brasileiro no final dos anos 80 e batizada em homenagem ao ex-treinador da Seleção Brasileira de Futebol, antigo aluno da Escola de Educação Física do Exército. Um lugar tranquilo, arborizado e com o mar sempre por perto. A pista não é grande. Tem 1,25 km, mas você pode percorrê-las várias vezes que não vai enjoar de tão bela que é. Não pode ser usada como ciclovia. Fica aberta diariamente das 6 da manhã às 6 da tarde e tem trilhas que te levam ao topo do Pão de Açúcar! Depois de suar um pouco você ainda pode se refrescar na praia calminha logo ali ao lado. Imperdível!

Praia de Copacabana

Bom, esse é o quintal da nossa casa e não tenho do que reclamar. Eu e minhas crianças de apartamento já pisamos em cada grão dessa areia fofa e branca. A ciclovia segue toda a extensão da praia que dá um total, do Leme ao Posto 6, de 4 km de puro deleite. Se você se animar, ainda pode estender o percurso pela rua Francisco Otaviano e chegar até o Arpoador, onde o pôr do sol é tão lindo que a gente assiste de camarote nas pedras e aplaude de pé o espetáculo. Outra possibilidade é seguir a ciclovia até o Leblon, cruzando Ipanema e tendo o Morro Dois Irmãos como norte. Não é bairrismo não, mas você estará diante de um dos espetáculos mais belos da natureza. Afinal, se Deus é brasileiro por que não acreditar que é carioca? rsrsrsrs

Aterro do Flamengo

O nome já diz tudo. Ali era mar. As ondas chegavam até a igreja da Glória. A área começou a ser aterrada no início dos anos XX quando construiu-se a Av. Beira-Mar, a Praça Paris e a Av da Praia do Flamengo. Com o desmonte completo do Morro do Castelo aterrou-se a área do atual aeroporto Santos Dumont. Na década de 50, outro morro do Centro do Rio veio abaixo. Dessa vez foi o de Santo Antônio e mais pedras e entulho foram despejados na baía para se abrir mais pistas de rolamento melhorando a comunicação entre o Centro e a Zona Sul da cidade. A ideia original era fazer apenas pistas de rolamento, mas a paisagista Carlota de Macedo Soares, amiga do então governador Carlos Lacerda, propôs a criação de um parque para prática de esportes ao lado das pistas. Burle Marx e Affonso Eduardo Reidy integraram a equipe responsável pelo projeto.

Hoje, esse parque batizado de Brigadeiro Eduardo Gomes, mas conhecido por todos como Aterro do Flamengo, é salpicado de quadras, museus e áreas de recreação. Aos domingos, assim como acontece na orla de Copacabana, Ipanema e Leblon, tem suas pistas automotivas abertas para lazer. Ele também sedia várias corridas de rua aqui no Rio. A questão é que essas corridas percorrem apenas as pistas de rolamento e não chegam nem perto do que há de melhor. Então, se tiver a fim de um visual de cinema, não fique na superfície. Entre no Parque e delicie-se. A ciclovia, que vem direto de Botafogo ou Urca, corta todo o caminho, mas você também pode escolher sair dela e ficar à beira mar. Ou ir por um caminho e voltar por outro. Pode correr na pista, na areia ou na grama. Por lá tem gente andando de bike, jogando basquete, fazendo circuito na areia, Yoga, correndo, pulando, lutando, lendo, brincando… Tem lugar para tudo e para todos. É de fácil acesso. Da Praia de Botafogo ou do Flamengo tem passarelas que cortam as pistas de rolamento e te levam direto ao paraíso. Não perca.

Lagoa Rodrigo de Freitas

Também conhecida como Coração do Rio devido ao seu formato, tem 2,4 milhões de metros quadrados de superfície. É muito utilizada para a prática de esportes náuticos ou passeios de barco, pedalinho… Toda contornada por uma ciclovia que contabiliza 7,5 km de extensão, é um lugar tão encantador que te faz correr sem perceber. Como tem um heliponto de onde saem passeios turísticos para se ver o Rio como Deus o vê, algumas vezes você precisa parar seu treino e esperar um helicóptero pousar ou decolar. Uma paradinha extra para se apreciar ainda mais o lugar. Se for na época natalina, o visual consegue ficar mais charmoso (se é que é possível!) com a presença da famosa a árvore de Natal. À noite, toda iluminada, boiando imponente no espelho d’água, confere um toque especial ao que já era divino. Só coisa boa.

E em todas as pistas mencionadas você pode fechar com chave de ouro se hidratando com o que há de mais gostoso e natural: um coco geladinho, geladinho. Então, o que tá esperando? Calce os tênis e corra para cá. Só cuidado para não perder o ritmo, afinal tem tanta coisa linda para se ver que não é nada difícil a gente se perder por aqui. Ou se achar… Vai saber…

 

Post Anterior

De repente, Califórnia!

Próximo Post

Sexta-feira outra vez

Comentários

  1. Liana
    10 de setembro de 2015 at 22:47 — Responder

    Amei ver as fotos e saber de alguns lugares que não conheço. Bjs

  2. Rafaela Lima
    11 de setembro de 2015 at 09:20 — Responder

    Lindo demais! O texto dá uma bela orientação para aqueles que correm e para os que apenas apreciam, também. Excelente! Belíssimos lugares! Fotos incríveis! Aliás, as fotos de “nós no Instragram” também estão demais. Já estava com saudades. Parabéns!

    • 11 de setembro de 2015 at 17:29 — Responder

      Oi Rafaela, eu também estava com saudades. Me meti em outros projetos e acabei me enrolando, mas agora tô de volta! Obrigada pelo carinho!

  3. Dora Martini
    11 de setembro de 2015 at 15:12 — Responder

    lindo o nosso Rio, não? saudades dos tempos em que podíamos desfrutá-lo em qualquer hora do dia…mas, grata por ter podido desfrutá-lo na integralidade!!!!

    • 11 de setembro de 2015 at 17:32 — Responder

      Essa cidade é realmente encantadora. Também sinto muito que os maus governos tenham deixado a violência crescer a níveis tão desagradáveis. Ela não merece isso, né Dora? Bjs

  4. Paolo Blanco Villela
    12 de setembro de 2015 at 12:15 — Responder

    Muito legal esse post!! Parabens!!!

  5. 12 de setembro de 2015 at 15:14 — Responder

    O Rio é e sempre será belo, encantador e maravilhoso em que pese os maus governantes. Excelente post !

    • 14 de setembro de 2015 at 11:49 — Responder

      Pois é Virgínia, esses maus governantes têm tentado de todo jeito enfear essa cidade, mas ela resiste. E nós também. Um beijo grande!

  6. Luiz Villela
    12 de setembro de 2015 at 22:09 — Responder

    Oi Karin Scarpa, muito legal a descrição das famosas pistas de corridas do Rio. Ainda me falta conhecer a Pista Claudio Coutinho, que, sua descrição, me deixou ainda mais curioso por caminhá-la Espero, contudo, que para hidratação, lá, possamos encontrar algo mais gelado que uma água de coco. Kakaka….Ká
    Parabéns pelos textos. Bjs

    • 14 de setembro de 2015 at 11:52 — Responder

      Hahahaha! Não se preocupe tio. Todas elas estão muito bem localizadas. Tem sempre um barzinho na esquina com uma cerveja tão ou mais gelada que o coco! Dá pra agradar a todos! Kkkkk Beijão!!!

Deixe seu comentário aqui.